A Liga Portuguesa de Futebol Profissional , entidade que regula a Liga NOS (Primeira Divisão), Ledman LigaPro (Segunda Divisão) e Taça CTT, anunciou que quatro clubes portugueses – Boavista, Desportivo das Aves, Vitória de Setúbal (Primeira Liga) e Leixões (Segunda Liga) estão impedidos de “registar contratos de trabalho desportivo ou de formação” por não terem apresentado o comprovativo da “inexistência de dívidas à Autoridade Tributária e à Segurança Social”. A Liga referiu que os clubes em causa têm que regularizar a sua documentação “o mais rapidamente possível” para que possam disputar as competições às quais desportivamente têm direito.

Para além destas quatro equipas, a Liga também está atenta às situações do Mafra e Farense, as duas equipas que subiram do Campeonato de Portugal (Terceira Divisão) para os campeonatos profissionais.

Após a conquista da Taça de Portugal, o clube avense tem vivido momentos atribulados.

O Desportivo das Aves é o clube que se encontra na situação mais delicada. A turma do concelho de Santo Tirso venceu a Taça de Portugal mas não irá participar na Liga Europa por falta de inscrição na UEFA. Como consequência, o Presidente da SAD avense, Luiz Andrade, apresentou a demissão por suposta pressão dos investidores. Para além disto, o clube tem cerca de 1,6 milhões de euros de dívidas (1,3 milhões de euros ao Fisco e 325 mil euros à Segurança Social). Tal como o Finance Football noticiou, o Desportivo das Aves corre um sério risco de falhar a inscrição na Liga.

Apesar da situação em que o clube se encontra, o Aves confirmou que, atualmente, não pode inscrever qualquer jogador e garante que o impedimento “já era aguardado”, devido à “impossibilidade” de cumprir “algumas diligências”. Esta “impossibilidade” surgiu após a apresentação da demissão do Presidente da SAD.

Ler mais: Aves endividado pode falhar inscrição na Liga

O Boavista, outro dos clubes visados pela Liga, também garantiu que o processo não surge como surpresa e que os “axadrezados” já pagaram os valores em dívida e que já terá a sua situação regularizada, de modo a que a documentação em causa esteja disponível brevemente.

Situações de Mafra e Farense, recém-promovidos à Ledman LigaPro, também estão a ser alvo de análise (Foto: OJogo)Dívid

No que toca ao Leixões, o próprio presidente, Paulo Lopo, garante que a falta de documentação “se trata de um problema “transitório””, que diz respeito à adesão a um novo Processo Especial de Revitalização (PER)”. Em declarações à TSF, Lopo acrescenta ainda que “é uma situação transitória, enquanto ainda não for aprovado este novo [PER], estaremos, teoricamente, em incumprimento, mas é uma coisa que durará 15 dias, no máximo”.

 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *