Os clubes portugueses têm crescido exponencialmente no que diz respeito à valorização dos seus jogadores: comprar barato e vender caro é uma das leis de ferro dos clubes portugueses, à qual até os três grandes têm de se submeter. Mas quem é afinal o ‘rei’ das valorizações? Qual o clube que consegue rentabilizar melhor os seus activos?

O Finance Football analisou todas as transferências feitas pelos três grandes no século XXI, comparando não apenas a receita que cada uma gerou mas também o custo de aquisição de cada jogador. O resultado é uma contabilidade monumental, que cobre quase duas dezenas de épocas, 1.100 milhões de euros e 600 futebolistas, desde grandes jogadores até flops desapontantes. Em suma, o primeiro ranking disponível das Maiores Valorizações do futebol português no século XXI.

Dragões na liderança…

O  FC Porto surge na primeira posição. Ao longo das últimas 16 épocas e meia, o clube de Pinto da Costa conseguiu fazer vendas que totalizaram uma valorização agregada impressionante: entre o que as ‘pérolas’ custaram e aquilo por que foram vendidas, o saldo líquido final foi superior a 500 milhões de euros.

De facto, no TOP 20 das valorizações o FC Porto consegue colocar nada mais nada menos do que nove transferências. Logo depois de João Mário, que aparece na primeira posição, surgem os nomes de  James Rodriguez e Hulk. O colombiano chegou aos dragões por 7,3 milhões de euros, acabando por ser vendido por 45 milhões de euros ao Mónaco. Já Hulk, a maior venda de sempre de um clube português, chegou a Portugal vindo do Japão por 19 milhões , saindo por 55 milhões para o Zenit.

E não se fica por aqui. Segundo a contabilidade do Finance Football, o FC Porto consegue encaixar mais sete jogadores no TOP 20. São eles Falcao, Ricardo Carvalho, Jackson Martínez, Pepe, Anderson, Mangala e Bruno Alves.

… mas Benfica está quase a ultrapassar

Mas as coisas têm estado a mudar com o passar do tempo. E se é verdade que dragões continuam a ter ainda o melhor resultado, não é menos verdade os encarnados se têm destacado ultimamente ao serem líderes na valorização dos seus jogadores em seis dos últimos sete anos.

Aliás, os benfiquistas conseguiram esta época o melhor resultado de sempre na história do futebol português. Após a venda de Gonçalo Guedes, o valor acumulado de valorizações atingiu o marco impressionante de 87,2 milhões de euros. A imagem de baixo mostra as valorizações anuais, colorindo as linhas nos anos em que cada clube ficou à frente dos dois adversários.

Este valor supera até aquilo que os portistas conseguiram fazer no annus mirabilis de 2004, quando Mourinho levou a sua equipa à vitória na Liga dos Campeões, e os tubarões do futebol europeu tiveram de abrir os cordões à bolsa para comprar craques como Ricardo Carvalho, Paulo Ferreira (Chelsea), Deco (Barcelona) ou Derlei (Dínamo de Moscovo). Ao todo foram cerca de 70 milhões de euros.

Já no caso do Sporting só esta época é que os valores começaram a mexer a sério. Com Jesus ao leme, e apesar dos desapontantes resultados desportivos, o Sporting conseguiu lucrar 69,6 milhões de euros este ano, obtendo assim o melhor resultado de sempre da história do clube e o terceiro melhor do futebol português no que toca à valorização dos jogadores.

2 Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *