Clubes de topo, contratos de topo. A Premier League soma e segue no que toca aos patrocínios das camisolas. Esta época não foge à regra.

71 milhões de euros. É quanto a norte-americana do sector automóvel paga anualmente para figurar nas camisolas do Manchester United. É certo que o clube tem passado por momentos mais apagados. Mas a contratação de José Mourinho e Ibrahimovic promete devolver o protagonismo que o emblema de Manchester já teve no passado.

O negócio dos ‘red devils’ com a Chevrolet é, de longe, o maior do género no futebol mundial, como já fizemos questão de demonstrar aqui. Chelsea e Arsenal também surgem bem posicionados se comparamos com os contratos dos colossos espanhóis Barcelona e Real Madrid e ainda os alemães do Bayern Munique.

sponsorsdealsepl

Podemos considerar que os actuais seis principais clubes ingleses estão no topo do ranking de patrocínios da Premier League. Não deixa de ser surpreendente, ainda assim, a posição modesta que ocupa o contrato que liga a King Beer e aos actuais campeões ingleses, o Leicester City – convém lembrar que o dono do clube é grupo tailandês King Power, que detém a marca King Beer.

O negócio entre as duas partes vale 5,5 milhões de euros aos ‘foxes’, surge no 12º lugar da lista, e deu muito que falar no final da época transacta. De qualquer forma, dada a presença do Leicester City na Champions e a maior visibilidade que irá concentrar ao longo da época, podemos esperar que o contrato seja revisto em alta.

Quanto aos clubes mais pequenos, os recém-promovidos à Premier League não têm razões de queixa dos seus patrocinadores. O Middlesbrough recebe cerca de 1,2 milhões de euros da Ramsens, o contrato negociado entre o Burnley e a Dafabet vale 2,4 milhões e o Hull City negociou há pouco tempo um contrato de três milhões/ano com a SportPesa.

No global, o mercado de patrocínio das camisolas da Premier League vale mais de 300 milhões de euros por ano.