Com apenas dez dias de mercado de transferências aberto, o SL Benfica já arrecadou cerca de 40 milhões de euros em transferências. Dentro dos jogadores vendidos ou emprestados, nenhum deles era uma peça fundamental do “xadrez” de Rui Vitória na temporada transacta.

Segundo o jornal A Bola, os valores alcançados neste defeso ainda estão longe dos 100 milhões do ano passado, conquistados graças à venda de jogadores importantes como Lindelof, Nélson Semedo e Ederson. No entanto, estes 40 milhões foram fulcrais na concretização de negócios de contratações como os de Facundo Ferreyra e Castillo.

Até ao momento, a venda de João Carvalho para os ingleses do Nottingham Forest é a mais representativa da temporada. A chegada do jogador formado no Seixal ao clube do Championship inglês significou um encaixe financeiro de 15 milhões de euros para os cofres encarnados. André Horta, vendido aos americanos do Los Angeles FC, rendeu 6,8 milhões de euros. O internacional sub-21 despediu-se do clube da Luz juntamente com o seu ex-colega de seleção, Pelé, que foi adquirido pelo AS Monaco a troco de 5 milhões de euros. O italiano Cristante também foi vendido definitivamente à Atalanta por 5 milhões, após um período de empréstimo ao sétimo classificado da Serie A. Muitos destes negócios, como acontece com André Horta, incluem uma cláusula de recompensação de futura venda (35%, no caso de André Horta). No entanto, o Finance Football sabe que o SL Benfica poderá não receber a totalidade dos valores de transferências acima assinalados.

João Carvalho é o novo rosto do Nottingham Forest de Aitor Karanka. O negócio está avaliado em 15M.

Por outro lado, o jornal A Bola destaca a importância que os empréstimos podem ter na balança financeira do clube lisboeta. Em empréstimo aos chineses do Guangzhou Evergrande, Talisca pode render até 25 milhões de euros. O peruano Carrillo foi emprestado ao Al-Hilal por 4 milhões de euros, mas o clube saudita irá ficar com uma opção de compra de 20 milhões. Por fim, o internacional mexicano Raúl Jiménez deu o “salto” para a Premier League, após concretizar um acordo com o recém-promovido Wolverhampton: o empréstimo significou um encaixe de 3 milhões para o Benfica, com uma cláusula de opção de compra de 38 milhões no final da temporada.

Ler mais: Benfica tem o 2º maior passivo da Europa

Os lisboetas ainda podem encaixar mais uns milhões nesta janela de transferências, com os nomes de Grimaldo e Rúben Dias a merecerem o maior destaque.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *