França é seleção mais cara do Mundial, Portugal em 8º

0

Milhões, milhões e mais milhões. Não, não estamos a falar da Liga dos Campeões, conhecida como a “Liga Milionária”. De quatro em quatro anos, o Mundial é o palco das maiores estrelas do futebol e, com a valorização constante de jogadores, envolve cada vez mais dinheiro no que toca aos jogadores presentes na competição. O Mundial de 2018 na Rússia não é exceção.

A soma de valores de mercado de todos os jogadores presentes no Mundial traduz-se nuns astronómicos 10045 milhões de euros, segundo dados da Transfermarkt. Contudo, nem todas as seleções contribuem da mesma maneira para esta soma final.

A seleção mais cara do mundo vem, de facto, do continente europeu. Com um valor total de 1008 milhões de euros, a França é oficialmente a seleção mais cara do Mundial 2018. A campeã do mundo em 1998 conta, nesta edição da competição, com estrelas como Griezmann, Mbappé, Kanté e Pogba, jovens jogadores com bastante exposição no panorama do futebol mundial. Os “bleus” são um dos favoritos a vencerem o Mundial. No segundo posto, aparece mais uma equipa europeia: a Espanha. Nomes como Isco, David Silva e Sergio Ramos colocam os “nuestros hermanos” no segundo posto desta tabela. No último lugar do pódio, está o Brasil. O representante da CONMEBOL é o maior candidato a conquistar o “caneco”, guiados pela frente de ataque composta por Neymar e companhia.

Portugal aparece num modesto 8º lugar, com um valor total de 464,5 milhões de euros. Ronaldo, com um valor de mercado de 100 milhões, compõe grande parte desta fatia, com Bernardo Silva (50 milhões) e Gonçalo Guedes (40 milhões) no segundo e terceiro lugar dos mais caros da seleção nacional, respetivamente. Os campeões europeus aparecem logo após a turma de Lionel Messi, a Argentina (693 milhões) e antecedem o Uruguai (372,5 milhões).

No outro lado da moeda, o Panamá é a seleção mais barata do Mundial. Os “canaleros” valem apenas 8,43 milhões de euros, bastante longe dos 18,7 milhões da segunda seleção com menos valor de mercado no mundial, a Arábia Saudita.

Numa escala maior, é possível verificar o domínio das nações da Europa e América do Sul relativamente ao valor dos seus jogadores. A Europa, representada pela UEFA a nível futebolístico, é a confederação que conta com um valor médio de seleções mais caras no Mundial. No total, os 322 jogadores europeus no Mundial valem 6727,28 milhões de euros, o que equivale a uma média de 480,52 milhões de euros por equipa. Neste ranking, a América do Sul (CONMEBOL) aparece no segundo lugar, com uma média de 467,07 milhões por equipa, seguindo-se a CAF (África) com 162,74 de média, CONCACAF (América do Norte e Central) com 64,84 e, por fim, a AFC (Ásia) com 54,16 milhões em média por equipa.

O Mundial de 2018 terá o seu início já amanhã, com a anfitriã Rússia a defrontar a Arábia Saudita em Moscovo.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA