Carlos Tévez transferiu-se esta época para o Shanghai Shenhua da China, por cerca de 10,5 milhões de euros. Depois dos tempos de glória alcançados no Manchester City e na Juventus, o astro argentino decidiu aventurar-se no “El Dorado” asiático. Tudo bem até aqui, mas quanto será que “custa” cada golo de Tévez ao emblema chinês?

Apesar de muitos pensarem que a sua passagem na China seria “canja”, Carlitos Tévez não teve vida fácil no seu ano de estreia. Com o estatuto de um dos jogadores mais bem pagos do mundo, seria de pensar que o internacional argentino fosse fazer a diferença na Super Liga Chinesa.

A ostentação chinesa permite oferecer um salário de 37,5 milhões de euros por ano ao argentino.

Segundo dados da Organização Internacional do Trabalho, um trabalhador português ganha em média 13,200€ por ano. Tévez precisa apenas de três minutos para ganhar o seu salário semanal. E mais: com o seu salário base, deveria de ter começado a trabalhar em 1767 para atingir hoje o valor do salário anual do argentino. Pode comparar aqui o seu salário com o dos futebolistas mais bem pagos do mundo.

Números extraordinários para um jogador de 33 anos, muito longe do seu auge. Não tão extraordinárias são as suas estatísticas. Tévez apontou apenas quatro golos em 17 partidas disputadas. Considerando o nível da grande parte dos seus adversários e o “combustível salarial” que o move, era-lhe exigido muito mais, diga-se já.

E o mundo de futebol provavelmente nunca terá visto um mero golo custar tanto. Se distribuirmos os tentos apontados por Tévez pelo valor da sua folha salarial, chegámos a um valor esclarecedor. Cada golo do craque albiceleste “custa” ao Shanghai Shenhua cerca de 9,4 milhões de euros.

Uma época desapontante

Num total de 30 jogos para a Super Liga Chinesa, Carlos Tévez marcou presença em pouco mais de metade deles (16). Uma lesão na perna obrigou-o a perder seis dos jogos da sua euqipa. Para além de mais, “El Apache”, como é conhecido, tem a forte concorrência de Demba Ba (ex-Chelsea) e Obafemi Martins (ex-Inter de Milão).

Uma poderosa força de ataque de pôr os olhos em bico. Contudo, para surpresa de todos, o Shanghai Shenhua esteve longe do sucesso. Os comandados de Wu Jingui terminaram a época no 11º lugar do campeonato, num total de 16 equipas. Uma temporada muito abaixo das expectativas da direção e dos adeptos.

O futuro do argentino é ainda uma incógnita, mas fala-se de um possível regresso ao clube do seu coração: o Boca Juniors. O presidente do clube sul-americano já confirmou que irá viajar até à China para falar com Tévez sobre o seu possível regresso à capital argentina.

 

 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *