O valor dos jogadores de futebol é como o preço das acções na bolsa: sobe e desce ao sabor do momento, revelando mudanças drásticas de ano para ano. O Finance Football analisou todas estas mexidas ao longo da época 2016/17 na Liga NOS, e encontrou as maiores desvalorizações do ano. O resultado é um ranking com os maiores flops financeiros da época – uma lista negra que para já é liderada por dois benfiquistas.

Os seus nomes são Toto Salvio e André Carrillo. São estes os dois jogadores que registaram desvalorizações mais acentuadas esta época. Os números não enganam: se o argentino perdeu 6 milhões de euros em valor de mercado – dados extraídos da base de dados Transfermarkt – o ex-sportinguista vale hoje menos 5 milhões do que no início da época.

maldição dos extremos pode ter alguma coisa a ver com estes resultados. De facto, o plantel benfiquista está “infestado” de jogadores talentosos, capazes de jogar na linha: para além de Salvio e Carrillo, os encarnados contam com Rafa, Zivkovic, Cervi e Jovic. A oferta é tanta que o tempo de jogo de cada um acaba por ser reduzido, o que lhes tira minutos nas pernas e milhões de euros no passe. Para além disto, há circunstâncias específicas que também não ajudam: Salvio teve uma lesão grave e André Carrillo passa por um mau momento de forma.

Para além de Salvio e Carrillo, os encarnados têm mais um jogador no TOP 20: Rúben Amorim, que desvalorizou um total de 3,25 milhões de euros. E se este aparece em sétimo lugar no ranking da perda de valor absoluto, a verdade é que passa para a primeira posição na análise em termos percentuais: comparando o valor ao início da época com o valor actual, Rúben é um jogador 81% mais barato. No seu caso, a falta de tempo de jogo e a idade são mesmo os fatores chave, que levaram inclusive o jogador a anunciar o fim da carreira no final da época.

Sporting lidera desvalorizações

A análise ao nível do clube também expõe outras realidades. Apesar de o Benfica ter as duas maiores desvalorizações, é o Sporting quem tem a maior desvalorização acumulada, que resulta da soma de todas as desvalorizações dos jogadores em análise.

De facto, o Sporting CP vê cinco dos seus jogadores figurarem no top. Jefferson, Paulo Oliveira, Douglas, Luc Castaignos e Beto são os visados. No total, são 14,5 milhões de euros perdidos em valor destes atletas.

A razão é óbvia: falta de minutos. Contabilizando os jogos para a liga, estes cinco jogadores disputaram em média apenas três jogos esta temporada. O técnico Jorge Jesus não encontrou lugar no “onze” para estes jogadores, levando à sua desvalorização. Se a isto somarmos a má época dos leões, não é difícil perceber estes números.

Brahimi e companhia não se livram

Se os dragões pensavam que se escapavam, enganaram-se. Yacine Brahimi representa o principal corte no valor de mercado dos portistas. A descida verifica-se em Fevereiro, quando o argelino partiu para representar a sua seleção na CAN. A Taça da Nações Africanas acabou por não correu de feição a si e ao seu país. As exibições de Brahimi foram algo insípidas e o tempo de jogo que perdeu no Estádio do Dragão resultou num corte do seu valor.

A idade não perdoa e, para além de Brahimi, Maxi Pereira e Casillas viram o seu valor de mercado cair. O “patinho feio” dos dragões, Laurent Depoitre, surge ainda na lista, após ter perdido o seu lugar na equipa de Nuno Espírito Santo, após a chegada de Tiquinho Soares.

Este artigo resulto de um intenso trabalho de pesquisa realizado pelo Finance Football. Todos os micro-dados utilizados nesta pesquisa estão disponíveis para consulta (meios de comunicação social e/ou investigadores), mediante pedido ao Finance Football.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *