Parece estranho, mas aconteceu mesmo. E apesar de à primeira vista parecer irracional, o presidente do FC Porto, Pinto da Costa, garante que há uma boa razão para ter abdicado, no último defeso, de um encaixe com transferência que podia ter ultrapassado os 95 milhões de euros.

Vender bem não é só ganhar dinheiro”, justificou Pinto da Costa, numa entrevista à ESPN. O líder portista revelou que chegou a ter em cima da mesa várias propostas de clubes estrangeiros para vender algumas das suas ‘jóias da coroa’, mas o clube preferiu reter os activos para ter mais hipóteses de ultrapassar a Roma na eliminatória da Liga dos Campeões. Como, de facto, acabou por acontecer.

“Era fácil apresentar resultados positivos. No último dia de mercado, por exemplo, ofereceram-nos 30 milhões de euros por Herrera, 40 milhões por Danilo e quiseram pagar a cláusula de rescisão do André Silva, que era de 25 milhões de euros. Aí tínhamos feito 95 milhões de euros e em vez de apresentarmos um resultado negativo íamos apresentar um resultado positivo. Mas se perdêssemos esses três jogadores em cima da pré-eliminatória, as nossas possibilidades de eliminar o adversário iam diminuir muito”, avançou Pinto da Costa.

Os dragões acabaram por apresentar um resultado negativo nas suas contas de 2015-2016, com um prejuízo histórico de 58 milhões de euros. O prejuízo deu muito que falar, não só por ser o mais alto da história do clube mas também por se registar num momento em que muitos indicadores financeiros revelam uma deterioração acentuada. O peso dos salários no total das receitas, por exemplo, já ultrapassa os 100%, muito mais do que nos restantes ‘grandes’ europeus.

salários_receitas

Na entrevista, porém, o líder portista afirma que a opção foi consciente, e que acabou por compensar, uma vez que as receitas da Liga dos Campeões ajudam a atenuar o prejuízo financeiro. Para além do mais, o dinheiro não é tudo. “Não é só pelo dinheiro, é pelo prestígio, porque o FC Porto, a par do Manchester United, é quem tem mais presenças na Champions. Foi uma opção e conseguimos o objetivo de ir para a Champions”.

Refira-se também que na época transacta o FC Porto fez “apenas” 25 milhões de euros com vendas de jogadores, menos 10 milhões do que o Benfica. Ainda assim, tanto um como o outro são os dois únicos clubes fora da Liga ‘Big Five’ (Inglaterra, Espanha, Itália, Alemanha, França) que conseguem aparecer no TOP 10 dos clubes que mais receitas fizeram com a transacção de passes nos últimos anos. Confira aqui a lista.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *