Nem sempre depois do término da carreira, os jogadores conseguem aguentar financeiramente a sua vida. O último caso mundial no mundo do futebol foi o de Emmanuel Eboué, que assumiu dificuldades financeiras e familiares.

Num artigo, a Bancada.pt compilou uma lista de 11 jogadores que já perderam tudo o que haviam ganho, enquanto eram jogadores profissionais de futebol.

George Best

Futebolista Norte-Irlandês que se consagrou no Manchester United. Venceu a Bola de Ouro, da France Football, em 1968, depois da conquista da Liga dos Campeões, ao serviço do clube inglês e frente ao SL Benfica.

“A miséria do Best é das mais famosas da história do desporto. O álcool foi o grande motor da queda pessoal do lendário britânico. Não só gastou fortunas como acabou com sérios problemas de saúde” – Diogo Cardoso Oliveira (Bancada.pt)

Vítor Batista

Futebolista Português. Iniciou a carreira no Vitória de Setúbal, onde venceu uma Taça de Portugal. Na transferência mais cara da altura foi para o SL Benfica. No currículo tem cinco campeonatos e uma Taça de Portugal pelos encarnados.

“Muitas vezes comparado a George Best – pelo perfil excêntrico que se juntava à genialidade futebolística –, o português acabou na pobreza: sem dinheiro e a trabalhar num cemitério, depois de ter espalhado magia pelos relvados nacionais” – Diogo Cardoso Oliveira (Bancada.pt)

David James

Futebolista Inglês e consagrado no Liverpool, em 1995. O guardião passou por vários clubes ingleses e esteve presente na seleção nos mundiais de 2002, 2006 e 2010, bem como no Euro 2004.

“Faturou – e bem – como jogador, antes de se envolver em negócios também eles bastante lucrativos. Apesar disso, chegou a ficar perto do zero financeiro. Um divórcio litigioso e dispendioso terá estado na origem de tudo” – Diogo Cardoso Oliveira (Bancada.pt)

John Arne Riise 

Jogador Norueguês e passou por clubes como o Liverpool, Roma, Mónaco, Fulham e muitos outros. Conquistou um campeonato francês, a Liga dos Campeões, duas Supertaças Europeias, etc. Foi, em 2006, considerado o melhor jogador do ano Norueguês.

“Conhecido pelo pontapé canhão, o lateral norueguês acumulou dívidas que os seus rendimentos não podiam pagar. Ainda como jogador do Liverpool, o tribunal declarou-o falido” – Diogo Cardoso Oliveira (Bancada.pt)

Christian Vieri 

Jogador Italiano que atuou na Atalanta, Juventus, Atlético de Madrid, Lazio, Inter, AC Milan, Mónaco e muitos outros. Foi o melhor jogador italiano em 1999 e 2002 e conquistou ainda o Pichichi de 1997/98 e o Guerin D’Oro 2002.

“Entre festas, mulheres e negócios ruinosos, a imprensa italiana noticiou os motivos da falência do histórico avançado italiano” – Diogo Cardoso Oliveira (Bancada.pt)

Garrincha 

Manuel Santos é o seu nome, mas ficou conhecido por Mané Garrincha. Jogador Brasileiro que se destacava pelos seus dribles. Representou o Botafogo, Corinthians e Flamengo, marcando mais de 270 golos. Foi Bola de Ouro no Mundial de 1962.

“Chegou a reconhecer 14 filhos, de mulheres e amantes. Os gastos com mulheres e festas foram apenas a ponta do icebergue para o lendário brasileiro, que passou também por grandes problemas de saúde, em grande parte frutos do álcool” – Diogo Cardoso Oliveira (Bancada.pt)

Jorge Cadete 

Jogador Português que passou pelo Sporting CP, SL Benfica, Celtic, Celta de Vigo e outros. Fez ainda 33 jogos pela seleção nacional.

“O internacional português nunca teve vergonha de assumir as dificuldades financeiras por que passou. Apostou em vários empregos, já depois do final da carreira, e, mais recentemente, avançou a aposta nos estudos (treino desportivo)” – Diogo Cardoso Oliveira (Bancada.pt)

Paul Gascoigne 

Médio-Ofensivo Inglês que representou a sua seleção por 57 vezes. Passou por clubes como o Rangers, Newcastle, Everton e Tottenham. Como treinador, passou pelo Algarve United.

“Louco e talentoso. Poucos definirão Gascoigne de forma diferente. Entre o mau feitio, as drogas e o álcool, o craque inglês declarou bancarrota em 2008 e esteve perto do mesmo em 2011” – Diogo Cardoso Oliveira (Bancada.pt)

Brad Friedel

Guarda-Redes Norte-Americano. Atuou no Galatasaray, Liverpool, Aston Villa e retirou-se no Tottenham. Representou 82 vezes a sua seleção.

“O que ganhou no futebol perdeu… no futebol. Segundo as informações divulgadas pela imprensa, em 2011, a bancarrota do guarda-redes norte-americano deveu-se ao falhanço de uma academia de futebol criada por ele” – Diogo Cardoso Oliveira (Bancada.pt)

Keith Gallespie 

Futebolista do Norte da Irlanda, onde representou 86 vezes a seleção. Juntamente com Giggs, Beckham, Scholes e Neville conquistou a FA Youth Cup em 1992 e foi promovido à equipa principal de Manchester United. Depois passou por Newcastle, Leicester, Wigan e muitos outros clubes ingleses.

“”Como não ser um milionário no futebol”. É este o título da autobiografia do ex-jogador britânico. Pouco mais haverá a explicar, para além de dizermos que grande parte das perdas de Gallespie foram no jogo” – Diogo Cardoso Oliveira (Bancada.pt)

Lee Hendrie 

Jogador Britânico e formado no Aston Villa. Representou ainda o Stoke City, Leicester, Blackpool e muitos outros. Conquistou a Taça Intertoto em 2001 e foi o jovem jogador da temporada (1997/98).

“Mais de dez anos a jogar e a faturar na Liga Inglesa não foram suficientes para o jogador evitar a bancarrota, em 2012, após acumular milhões de euros em dívida” – Diogo Cardoso Oliveira (Bancada.pt)

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA