A equipa de José Mourinho pode até não ter problemas com as suas finanças, mas caso o United não se consiga novamente qualificar para a Champions, as consequências financeiras não vão ser propriamente leves. Prevê-se uma perda de quase 25 milhões de euros caso o clube de Manchester não atinja a principal prova europeia.

A época não está a correr bem para os red devils, que ocupam atualmente o sexto lugar da tabela com 11 jogos disputados, uma classificação que os deixa fora da prova milionária. 

O embate deste sábado com o Arsenal será uma verdadeira prova de fogo para o técnico português. Mas não é só a nível desportivo que a situação não está periclitante para os lados de Old Trafford. A dívida do United aumentou 18%, chegando quase aos 400 milhões de euros. O aumento da dívida foi em grande parte devido à desvalorização da libra esterlina causada pelo Brexit, apesar da Premier League desdramatizar o seu impacto.

Por outro lado, ainda no plano financeiro, caso o emblema de Manchester não termine nos primeiros quatro postos ou ganhe a Liga Europa, o seu contrato de cerca 870 milhões de euros com a Adidas vai sofrer “na pele” as consequências.

Cliff Baty, o diretor financeiro do Manchester United, revela que “há uma cláusula no contrato com a Adidas”. “Caso falhemos a Liga dos Campeões dois anos seguidos, haverá uma redução de 30% dos ganhos no próximo ano”, assegurou aquele responsável.

Apesar do cenário temeroso, o vice-presidente executivo da equipa de Old Trafford, Ed Woodward, permanece otimista quanto às possibilidades do seu emblema chegar ao sucesso sob o comando do português José Mourinho.

Pogba, Ibrahimovic e companhia, apesar dos seus elevados custos salariais, têm ajudado a equilibrar as contas aos red devils, com a venda de camisolas dos jogadores do Manchester United a subir 20% em relação ao ano transato.