O contrato do argentino Lionel Messi com o Barcelona ascende a 555.237.619 euros brutos, divididos por quatro temporadas, entre 2017-2018 e a presente temporada, segundo adianta o jornal espanhol El Mundo.

A publicação revelou detalhes do contrato “faraónico” do astro argentino numa altura em que as finanças do clube catalão estão na ordem do dia. Dívidas de mais de um bilião de euros, uma boa parte da qual a vencer no curto prazo, que deixa o Barça nas mãos dos credores para evitar um cenário de eventual incumprimento.

De acordo com o jornal, com aquele contrato, Messi assegurou cerca de €138 milhões por ano com salário fixo e variável. O argentino é considerado o melhor do mundo, e isso surge refletido na sua folha salarial.

O contrato de Messi inclui ainda dois bónus em separado:

  • €115,2 milhões de prémio de renovação do vínculo contratual;
  • €77,9 milhões de prémio de “fidelidade” aos culés.
El Mundo

Messi ganha €380.299 por dia

O El Mundo adianta que 92% dos 555 milhões de euros já estão nas contas bancárias do jogador argentino, cujo contrato expira a 30 de junho.

Por outro lado, “o contrato mais caro da história” de Messi corresponde ao dobro daquilo queo Barcelona gasta com as outras modalidades, incluindo basquetebol e andebol.

Por dia, Messi cobra €380.299 brutos (€210.297 líquidos de impostos), um montante ao qual se deve acrescentar os rendimentos pela exploração da imagem (com acordos de sponsor, por exemplo), cujos direitos pertencem ao jogador.

Ler mais: Top 20 Football Clubs by Revenue 2021

E quanto paga de impostos? Messi é um ótimo contribuinte pelo salário que aufere. O jogador está no escalão mais elevado do IRS, pelo que as deduções para a segurança social representam mais de metade dos €555 milhões: €297 milhões.

Clube rejeita responsabilidades

Dificilmente Messi renovará novo vínculo com o Barcelona. Ainda no verão passado o astro argentino manifestou a intenção de sair e agora este caso deverá reforçar a sua decisão. Pretendentes pelo concurso dos serviços de Messi não faltam, com Manchester City (do seu amigo Pep Guardiola) e PSG (que tem um plano para juntar Neymar, Messi e Sergio Ramos) na lista de principais candidatos.

Em reação à divulgação do contrato de Messi, o Barcelona lamentou que tenha sido divulgado o documento e rejeitou qualquer responsabilidade na sua divulgação.

“O clube lamenta que tenha sido publicado tendo em conta que é um documento privado e sujeito ao princípio da confidencialidade entre as partes”, referiu num comunicado. “O Barcelona categoricamente nega qualquer responsabilidade na publicação deste documento”, acrescenta.

Barça em crise

A polémica com o contrato de Messi vem adensar o clima de tensão em Barcelona. Há eleições à vista para a liderança do clube que esta semana revelou as suas depauperadas finanças afetadas pela crise da pandemia.

A dívida atingiu os €1,2 biliões, incluindo €730 milhões de dívida de curto-prazo. As despesas com salários representam 74% das receitas do clube.

O clube tem dívidas a vários clubes: €29 milhões ao Liverpool por causa da transferência de Philippe Coutinho; €16 milhões ao Ajax pela transferência de Frenkie de Jong; e cerca de €10 milhões ao Bordéus pela transferência de Malcom.

De acordo com a Deloitte, o Barcelona é o clube que mais fatura no mundo: gerou vendas de €715 milhões na temporada transata.