Para ampliar a sala de troféus, o Mengão vai precisar se reiventar – Fonte Wikimedia

O Flamengo atual está longe de ser aquele time envolvente, com futebol bonito que conquistou quase tudo que disputou na temporada 2019. Acostumados com vitórias e títulos, os torcedores rubro-negros se espantaram com as eliminações precoces na Copa do Brasil e na Libertadores e com o desempenho irregular mostrado durante todo o ano de 2020.

Ainda favorito nas casas de apostas, o time carioca sofreu com a perda o técnico Jorge Jesus, que foi para o Benfica, e pela falta de preparo de Domènec Torrent, que não resistiu após fracas atuações e as eliminações. Com Rogério Ceni, a situação não mudou muito. A equipe da Gávea continua irregular e cada vez mais longe de conquistar o título do Campeonato Brasileiro. Para piorar, o treinador vem sofrendo desavenças com algumas estrelas da equipe como Gabriel Barbosa, que não gostou de ser substituído em uma partida do Brasileirão.

Retorno da torcida

Os jogadores do Flamengo estão convictos que a má fase Rubro-Negra se deve pela ausência do torcedor na arquibancada. Segundo o elenco, a massa rubro-negra tem papel importante para o bom desempenho do time dentro de campo.

Foi pensando nisto que o clube divulgou seu orçamento de 2021 prevendo o retorno do torcedor no Maracanã. A diretoria confirmou que trabalha com uma receita bruta que pode chegar aos R$ 930 milhões, situação parecida com o faturado em 2019. Desses, R$ 170 milhões de reais estariam ligados ao retorno da torcida aos estádios a partir de abril: R$ 100 milhões são estimados com a venda de ingressos e os outros R$ 70 milhões com associados.

Segundo a proposta apresentada, a diretoria estimou que a vacinação contra o coronavírus esteja avançada em abril e que a pandemia esteja controlada ao ponto de permitirem o retorno do torcedor aos jogos, uma posição difícil de ser considerada como provável levando em conta o atraso na importação de insumos e produção da vacina no país.

Por isso tudo, é improvável considerar uma receita tão alta proveniente de ingressos ou mesmo manter o quadro de sócios de 2020 quando havia o empurrão dos títulos do ano anterior.

Em 2020, apesar de toda crise financeira causada pela pandemia, o clube teve uma receita líquida de R$ 495 milhões. Este dado foi divulgado pelo próprio clube em outubro do ano passado.

Folha salarial mais cara do Brasileirão

É notório que o Flamengo tem o elenco de jogadores mais caros do Brasil. Para oferecer tantas opções de jogadores de qualidade, a despesa com a folha salarial supera R$ 22 milhões mensais, o dobro da folha do São Paulo (R$ 11 milhões) segundo colocado do Brasileirão e bem mais que a do Internacional, líder do campeonato: R$ 8 milhões.

O teto salarial no Flamengo é do centro avante Gabigol que fatura R$ 1,6 milhão por mês.

Expectativa dentro de campo

Ainda na disputa do título do Brasileirão 2020, o Flamengo tem um calendário cheio para a próxima temporada. O foco está na Copa Libertadores, onde o clube ainda não está garantido, apesar da boa posição na tabela de classificação e chances acima de 80%, segundo sites especializados. Além da competição continental, o Rubro-negro terá pela frente o Campeonato Carioca, onde defende o título, a Copa do Brasil e a Série A do Brasileiro de 2021. O campeão da Libertadores ainda disputa o Mundial de Clubes no fim do ano, mais uma fonte de renda. Com isso tudo, o clube carioca, que é considerado o 18º maior do mundo segundo a IFFHS, espera melhorar esta colocação e, principalmente, retomar o faturamento recorde de 2019.

Ano cheio e expectativa enorme do torcedor em voltar a ver seu time brilhar dentro de campo. O clube deve ir ao mercado em busca de reforços, mas seu grande trunfo é a permanência de várias estrelas para 2021 como os atacantes Gabriel Barbosa e Bruno Henrique, os meias Gerson, Éverton Ribeiro e Arrascaeta, o zagueiro Rodrigo Caio e o goleiro Diego Alves.

Outro nome de destaque é de Pedro, que foi comprado em definitivo pelo clube por 14 milhões de euros e fica na Gávea até 2025. O jogador brilhou nesta temporada, mesmo não sendo titular na maioria das partidas. Outro reserva que deverá estar presente na próxima temporada é o meia Diego Ribas, de 36 anos, que deverá renovar por mais um ano e fazer sua última temporada pelo Flamengo.

Já o comando do Flamengo para a nova temporada continua sendo uma incógnita. Rogério Ceni não vem agradando e com a falta de bons resultados, o treinador tem grande chance de nem finalizar o Brasileirão. Os números do treinador no Mengão não são empolgantes. Em 15 partidas sob o comando do ex-goleiro saopaulino, o Rubro-negro conquistou apenas seis vitórias, quatro empates e cinco derrotas. É aguardar para ver. Por enquanto, a torcida só pede por “Jesus”!

SEM COMENTÁRIOS