A chegada de Ronaldo a Itália motivou um maior interesse pelo patrocínio da Serie A.

A Serie A italiana atraiu um grande número de candidatos para a aquisição dos direitos televisivos internacionais. O prazo para a apresentação de ofertas terminou esta segunda-feira.

De acordo com a Gazzetta dello Sport, 49 empresas submeteram propostas, compreendendo 35 operadoras e 14 agências. Em causa está o ciclo de três temporadas, começando na época 2021-22 até à época 2023-24.

Recebidas as ofertas, a Lega Serie A está agora a rever as propostas em cima da mesa, tendo agendada uma reunião da assembleia na quinta-feira, com a atribuição dos direitos televisivos na ordem dos trabalhos.

Ler mais: Serie A quer €3,5 mil milhões pelos direitos de TV domésticos

O objetivo passa por obter uma receita entre aquilo que é pago atualmente pela agência IMG e os €500 milhões por temporada.

A IMG adquiriu os direitos televisivos internacionais para o triénio entre 2018-19 e 2020-21 num negócio originalmente avaliado em pouco mais de €380 milhões por época. O contrato cobre direitos de transmissão internacional, direitos de arquivo do clube, direitos de apostas, gastos com marketing e taxa de acesso ao sinal de transmissão.

Ler mais: Fundos Bain e CVC lideram corrida para compra da Serie A

De fora deste processo ficaram os direitos para os mercados do Oriente Médio e do Norte da África. A assembleia da Lega Serie A irá discutir este dossiê na quinta-feira, antes de lançar um concurso.

Também na agenda da reunião da liga esta semana estará a possibilidade de transmitir jogos da Copa Itália 2020-21 e da Supertaça italiana através das redes sociais da Série A, designadamente em mercados onde ainda não foram fechados acordos de transmissão.