Os clubes espanhóis estão em risco de perder os patrocínios de casas de apostas. O Governo espanhol deverá aprovar em breve uma nova lei que proíbe sponsors de operadores de apostas nas camisolas dos clubes.

Numa medida que ameaça os contratos entre os clubes da La Liga e as casas de apostas, Alberto Garzón, ministro dos Assuntos do Consumidor, adiantou que o decreto-real deverá ser aprovado em outubro.

Ler mais: Patrocínios no desporto vão cair 37% para 29 mil milhões em 2020

Vamos proibir os clubes de futebol de mostrarem casas de apostas nas suas camisolas num decreto que é aprovado em outubro. É imprudente que os clubes assinem contratos de dois ou três anos e agora vão ter de corrigir isso. Eles a fazer erros e vão ter de corrigir isso”, referiu Alberto Garzón em declarações ao La Sexta.

Muitos clubes na La Liga renovaram ou anunciaram novos acordos com os operadores de apostas para a nova época, na expectativa de que a proibição do governo só iria entrar em vigor dentro de alguns anos.

Porém, Garzón foi claro ao dizer que a publicação da nova lei não vai ser adiada.

“Pedimos aos clubes de futebol que compreendam a medida e antecipem os acontecimentos… porque isto é inevitável. Os patrocínios nas camisolas vão ser banidos”, sublinhou o ministro.

Oito clubes ameaçados

São vários os clubes espanhóis que tem casas de apostas nas suas camisolas e que agora vão ter de desaparecer: Alavés (Betway), Cadiz (Dafabet), Granada (Winamax), Levante (Betway), RCD Mallorca (Betfred), Real Betis (Betway), Sevilla (MarathonBet or Betway) e Valência (Bwin).

Na segunda liga, o Girona (MarathonBet) e o Leganés (Betway) têm casas de apostas como patrocinadores principais.