A NOS vai deixar de patrocinar a Liga portuguesa a partir de 2021, colocando um ponto final a um contrato de mais de cinco milhões de euros por época no apoio como patrocinador principal e naming sponsor do principal campeonato de futebol em Portugal.

Em comunicado, a operadora de telecomunicações adianta que decisão resulta “de uma avaliação que a empresa tem vindo a realizar há já alguns meses e da qual resultou a conclusão que, após sete épocas, o valor que esta parceria representava para ambas as partes e os objetivos que lhe estiveram subjacentes estarão totalmente atingidos“.

Do lado da Liga, a direção executiva da Liga Portugal deixou “uma palavra de profunda gratidão à aposta feita pela marca, no período de sete anos, e que se traduziu num crescimento do valor da prova, também alavancado por esta aliança”.

Patrocínios no desporto vão cair 37% para 29 mil milhões em 2020

O anúncio também não surpreende tanto tendo em conta a atual situação de pandemia, que suspendeu as competições desportivas em todo o mundo e está a pressionar as contas das empresas. A NOS registou um prejuízo de mais de 10 milhões de euros no primeiro trimestre, perante o impacto do coronavírus. A telecom está também a ser afetada pela exposição a Isabel dos Santos, que controla parte da operadora através de uma joint-venture com o grupo Sonae (Continente).

Mas há mais factores que precipitaram esta decisão. A dias do regresso da Liga, depois de dois meses de interregno, Pedro Proença, presidente executivo da Liga, está sob pressão dos clubes para abandonar o cargo. Isto porque avançou com uma proposta para transmitir os jogos em sinal aberto sem consultar nem os clubes nem os operadores que detêm os direitos de transmissão televisiva e que investiram milhões na aquisição destes direitos.

A polémica já levou o Benfica a abandonar a direção da Liga,  cuja liderança deverá ser clarificada nas próximas semanas, perspetivando-se a saída de Pedro Proença do cargo.

Naming sponsor da Liga vale 7,4 milhões

No mesmo dia em que foi anunciado o fim do contrato com a NOS, a própria Liga revelou um estudo que indica que o naming sponsor da I Liga vale mais de sete milhões de euros.

“A Nielsen Sports realizou, ao longo da atual temporada 2019-20, um estudo de avaliação de propriedades comerciais da Liga Portugal, nomeadamente a valorização do pacote comercial de naming sponsor, que aponta para uma presença massiva da competição a nível doméstico e uma presença notável em termos internacionais”, diz a entidade.

“Numa época regular, a audiência, numa estimativa global da Liga NOS, é de mais de 135 milhões de telespetadores em todo o mundo, com a transmissão anual de mais de 12 000 programas de televisão, dedicados ou com referência à competição, o que é revelador do potencial comercial a ela inerente”.

Apesar do fim do contrato, a NOS garante que continuará a investir no futebol, “embora num formato diferente”, mantendo-se “a trabalhar em estreita colaboração com a Liga, por forma a criar uma competição ainda mais dinâmica, mais interativa e mais espetacular para todos os adeptos de futebol” no que resta do contrato que termina na próxima temporada 2020/2021.

Esta semana publicamos aqui um estudo sobre o impacto da pandemia de Covid-19 na indústria dos patrocínios no desporto: o investimento das empresas em sponsorship deverá cair 37% este ano para 29 mil milhões de dólares.

Os setores que mais vão reduzir a atividade são estes, por ordem: serviços financeiros (-$6.92 mil milhões), automóvel (-$2.67bn) e tecnologia (-$4.58 mil milhões), de acordo com o estudo da Two Circles.

Por outro lado, o setor da aviação, um dos mais castigados pela crise da pandemia, deverá reduzir o seu investimento em 61% para apenas $330 milhões.