11. Anfield Stadium (Liverpool FC)

A Premier League pretende recomeçar a temporada 2019-2020, mas vai propor que os jogos até final da época sejam realizados em estádios neutros, com os donos dos clubes a serem informados de que vão perder 388 milhões de euros em receitas televisivas, mesmo com a conclusão da temporada.

Depois de uma reunião com o governo britânico, a Premier League revelou que as competições desportivas profissionais podem ser retomadas a partir de 1 de junho, mas com os estádios encerrados.

O principal escalão de futebol em Inglaterra está suspenso desde meados de março devido à pandemia do novo coronavírus. Agora, pretende-se retomar os jogos a 12 de junho, três meses depois, mas em recintos neutros, e com a competição a terminar no início de agosto.

Ler mais: Premier League quer cortar 30% dos salários dos jogadores

Alguns clubes estão contra a realização de jogos em terrenos neutros, sobretudo aqueles que estão no fundo da tabela e que mostraram preocupação em relação à justiça e integridade desportiva.

A possibilidade de usar estádios neutros foi levantada em reunião tida esta semana, mas o CEO da Premier League, Richard Masters, adiantou que os proprietários dos clubes querem completar a temporada nos seus respetivos estádios.

Obviamente que é a preferência de todos os clubes jogar em casa se for possível. É um diálogo constante e estamos a falar com as autoridades sobre as condições para o regresso da Premier League e a levar todos os conselhos à administração”, referiu Masters.

Richard Masters alegou que os clubes haviam argumentado contra o uso de estádios neutros perante preocupações de que os adeptos se reuniriam em grande número nos seus recintos.

“Os clubes podem encorajar os seus adeptos a não se deslocarem aos seus estádios enquanto estão a jogar em casa à porta fechada, e estão em melhor posição para controlar isso, mas não é uma questão de convencê-los. Isto tem de ser uma decisão de todos”, acrescentou o presidente executivo da Premier League.

A BBC disse que os clubes foram informados de que poderão perder cerca de 388 milhões de euros das receitas de transmissão televisão (doméstico e internacional), mesmo com o regresso da competição. O Guardian acrescentou que as perdas poderão situar-se entre 340 milhões e 400 milhões de euros se a Premier League não cumprir os termos do contrato. Por outro lado, se a época for cancelada, a fatura maior: 860 milhões de euros.

A Premier League está em conversas com as principais emissores domésticas, a Sky e a BT Sport, para transmitir alguns jogos gratuitamente nos seus canais no Youtube, caso sejam retomados os jogos à porta fechada.

“Aconteça o que acontecer, haverá uma perda significativa de receita para os clubes. Isso é inevitável”, disse Masters.