Cada equipa pode realizar três substituições numa partida. Mas a Fifa propôs agora uma alteração temporária na regra das substituições para evitar uma sobrecarga de jogos quando o futebol regressar após a pandemia do novo coronavírus.

A medida ainda precisa do aval do International Board (IFAB), órgão que gere as regras do deporto-rei, mas a intenção é essa: evitar um desgate excessivo dos atletas quando as forem retomadas as competições, sobretudo porque muitos jogos vão ter de ser disputados com poucos dias de intervalo.

“Quando as competições recomeçarem, é provável que as equipas enfrentem um calendário de partidas muito preenchido e com uma frequência de jogos maior que o normal durante semanas consecutivas”, referiu um porta-voz da FIFA.

“Uma preocupação a esse respeito é que a frequência das partidas pode aumentar o risco de possíveis lesões devido à sobrecarga do jogador”, acrescentou.

FIFA prepara “Plano Marshall” para o futebol mundial devido à Covid-19

“Diante disso e do desafio único enfrentado globalmente na conclusão das competições de acordo com o calendário originalmente previsto, a FIFA propõe que um número maior de substituições seja temporariamente permitido, a critério do organizador da competição”, rematou.

Decisão final caberá a cada Liga

Após a aprovação por parte da IFAB, caberá a cada liga nacional adotar a medida ou não.

Para evitar que as substituições sejam usadas para “passar tempo”, a proposta prevê que sejam realizadas em três interrupções por cada clube, no máximo, ou então durante o intervalo.

Grande parte dos campeonatos de futebol foram interrompidos em meados de março devido ao surto do coronavírus, que já infetou mais de três milhões de pessoas em todo o mundo.

Ainda não há previsão para o regresso das competições, embora muitos clubes comecem agora a planear o regresso aos treinos tendo em vista retomar os campeonatos no mês de junho. Para evitar o risco de contágio, os jogos serão realizados à porta fechada e os jogadores vão ser testados à Covid-19 de forma regular.