Foto: David Ramos

A SAD do Sporting chegou a um acordo com os jogadores de futebol para cortar os salários em 40% nos meses de abril, maio e junho, num esforço para mitigar os efeitos da crise do coronavírus no futebol.

De acordo com a agência Lusa, citando fonte ligada ao processo, as negociações para reduzir os encargos com salários, devido à suspensão das competições na Liga portuguesa por causa da pandemia da Covid-19, foram concluídas este sábado, num processo que decorreu de forma “pacífica” e contou ainda com a participação do Sindicato dos Jogadores Profissionais. 

Este corte de 40% estará em vigor enquanto o campeonato estiver parado. Se houver entretanto uma retoma da liga a diminuição salarial será de 20%. Ainda não há uma previsão para o recomeço das provas.

A devolução do dinheiro será feita feito em duas fases: metade do dinheiro será devolvido até ao final do ano; a outra metade será devolvido até final de 2021. Segundo a SIC, há uma contrapartida: se os leões alcançarem o segundo lugar e acederem à Champions haverá lugar à restituição imediata dos valores aos jogadores.

A administração de Francisco Varandas também deu o exemplo: cortou em 50% os salários dos administradores.

Este é o primeiro acordo entre clube e jogadores entre os três grandes clubes portugueses e visa minimizar o impacto da pandemia, que provocou a suspensão dos campeonatos profissionais no dia 12 de março, há um mês. Benfica e FC Porto também estão a estudar planos de contenção de custos.

“Se um dia houver alguma coisa para falar com os jogadores, será para falar com eles e não através dos jornais, nem por intermediários. O que existe neste momento da parte do presidente e da estrutura uma reflexão conjunta do impacto da crise no Benfica”, disse Tiago Pinto, director geral de futebol do Benfica, em declarações à BTV.

Jogadores do Real Madrid aceitam corte de 10% nos salários

Sem competições, os clubes deixaram de ter receitas da transmissão dos jogos, venda de bilhetes, assim como da venda de merchandising, patrocínios ou dos prémios da UEFA.

Neste cenário, vários clubes europeus também chegaram a um entendimento com os jogadores para fazer face à crise económica. Em Espanha, por exemplo, o Barcelona reduziu os salários dos jogadores em 70% enquanto o campeonato não for retomado e o Real Madrid chegou a um acordo para baixar os salários entre 10% e 20%. Na Bundesliga, os jogadores do Bayern aceitaram um corte salarial de 20%. E na Juventus, os jogadores viram os seus salários reduzidos em 90 milhões de euros.

O Sporting ocupa o quarto lugar na I Liga, que foi interrompida à 24.ª de um total de 34 jornadas, a quatro pontos de distância do Sporting de Braga, terceiro classificado, 17 do Benfica, segundo, e 18 do líder FC Porto.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já provocou mais de 103 mil mortos e infetou mais de 1,7 milhões de pessoas em 193 países e territórios. Dos casos de infeção, mais de 341 mil são considerados curados.