O Real Madrid e os jogadores chegaram a um acordo para reduzir os salários anuais em 10% caso as competições desportivas sejam retomadas. O corte poderá ser de 20% se a época não for concluída.

Esta medida vale não só para a equipa de futebol, mas também a equipa de basquetebol, abrangendo jogadores, staff técnico e executivos.

A negociação foi levada a cabo pelos capitães das equipas, incluindo Sérgio Ramos, e José Ángel Sánchez, que chegaram a um entendimento que permite que outros funcionários do clube madrileno não sejam afetado. Caso contrário, o clube teria de colocar os 800 trabalhadores em layoff.

Feitas as contas, o corte de 10% na massa salarial poderá significar uma poupança de cerca de 50 milhões de euros. Mas isto apenas num cenário em que há uma retoma das competições. Se não houver mais jogos esta temporada, os jogadores levarão um corte de aproximadamente 100 milhões de euros.

“Esta decisão, adotada por jogadores, treinadores e empregados, evita medidas traumáticas que afectem os restantes trabalhadores, além de contribuir para os objectivos económicos da entidade perante a diminuição das receitas durante estes meses, como consequência da suspensão das competições e da paralisação de grande parte das suas atividades comerciais”, afirmou o clube merengue.

Um pouco por todo o mundo, por causa da pandemia da Covid-19, grande parte das competições está suspensa por determinação das autoridades.
A paralisação dos campeonatos é também das provas europeias está a provocar uma quebra abrupta nas receitas dos clubes.

Uma queda de 20% nas receitas do Real Madrid traduzirá-se numa perda de 150 milhões de euros. Sem jogos, não se vendem bilhetes, e as receitas da transmissão das partidas e de patrocínios também não entram nos cofres. Além disso, também não há dinheiro dos prémios da Champions.

Vários clubes em toda a Europa já anunciaram medidas de contenção da despesa para fazer face à crise. Na Juventus os jogadores aceitaram um corte de 90 milhões de euros. Neste momento, apesar de vários países estarem já a vislumbrar um levantamento das restrições, ainda não se sabe quando é que as competições poderão regressar.

A UEFA disse na semana passada que as temporadas nas ligas nacionais devem estar concluídas até ao início de agosto, para que cada país defina quais os clubes representantes na próxima edição das provas europeias.

Comunicado do Real Madrid

Os jogadores e os técnicos das equipas principais de futebol e basquetebol do Real Madrid, encabeçados pelos respectivos capitães, tal como os principais executivos das diferentes áreas directivas do clube, chegaram a acordo para baixar voluntariamente as suas remunerações para este ano entre 10% e 20%, em virtude das circustâncias que podem afectar o fecho da actual temporada desportiva 2019/20.

Esta decisão, adoptada pelos jogadores, treinadores e funcionários, evita a tomada de medidas drásticas que prejudiquem os restantes trabalhadores, além de contribuir para os objectivos financeiros da entidade face à diminuição de receitas que se vem registando estes meses devido à suspensão das competições e à paralização da maioria das actividades comerciais.

O Comité de Empresa do clube apoia firmemente esta decisão, que considera responsável e exemplar.

O Real Madrid orgulha-se de todos aqueles que fazem parte desta grande família e da sua inabalável cultura de valores, que se torna particularmente valiosa em momentos de dificuldade como este.

Da mesma forma, o Real Madrid, os seus sócios e adeptos, pretendem estender todo o seu amor e solidariedade a todos aqueles que sofreram as consequências directas desta pandemia que nos está a atingir a todos, principalmente os que perderam algum familiar ou ente querido.

O clube deseja uma rápida recuperação dos doentes e transmite o seu mais profundo agradecimento a todas as pessoas que estão a desempenhar uma função essencial, exemplar e solidária na luta contra a COVID-19.

O Real Madrid expressa todo o apoio e força com a convicção de que juntos vamos, sem dúvida, superar este momento difícil.