Os clubes da Premier League chegaram a um acordo para propor aos seus jogadores um corte de 30% nos salários, num esforço para responder à crise provocada pela pandemia do novo coronavírus.

Esta decisão surge depois de alguns emblemas terem sido criticados por terem cortado os salários do staff para fazer face à crise e sem terem tomado qualquer medida em relação aos salários dos jogadores.

O secretário de Estado da Saúde britânico, Matt Hancock, disse na semana passada que também os futebolistas devem “aceitar um corte salarial e darem o seu contributo” face à crise provocada pela pandemia do coronavírus que obrigou os países a encerrarem as atividades económicas não essenciais.

Ler mais: Ronaldo and teammates agree €90 million pay cuts in Juventus

Os donos dos clubes da Premier League reuniram-se esta sexta-feira e confirmaram as negociações no sentido de reduzir os encargos com salários dos jogadores numa altura em que ainda não se sabem quando o campeonato será retomado.

Em Espanha, por exemplo, o Barcelona reduziu os salários dos jogadores em 70% enquanto o campeonato não for retomado. Na Bundesliga, os jogadores do Bayern aceitaram um corte salarial de 20%. E na Juventus, os jogadores viram os seus salários reduzidos em 90 milhões de euros.

Na reunião, ficou decidido também que a temporada não poderá ser retomada em maio, estando a data de início da luga sob revisão constante, mediante a evolução do surto do novo vírus.

A Premier League também confirmou um adiantamento de cerca de 140 milhões de euros (120 milhões de libras) aos clubes das divisões inferiores que estão com dificuldades devido à suspensão das competições.

“Devido às perdas substanciais e continuadas na temporada 2019-2020 desde a paragem dos jogos, e para proteger o emprego das competições profissionais, a Premier League decidiram de forma unânime propor aos jogadores reduções de 30% das suas remunerações anuais”, disse a Premier League em comunicado.

“Estas orientações estarão sob revisão constante, à medida que as circunstâncias mudem. A Liga vai manter contactos regulares com a PFA e o sindicato irá juntar-se à reunião entre a liga, jogadores e representantes dos clubes”, acrescentou.

Sobre o reinício do campeonato, o comunicado refere: “Ficou definido que a Premier League não recomeçará no início de maio – e que a época de 2019/20 só regressará quando for seguro e apropriado”.