A FIFA está a investigar o elevado número de lugares vazios na partida entre o Uruguai e o Egito, que decorreu em Ekaterinburg no passado dia 15 de junho. A FIFA alega que grande parte dos bilhetes foram vendidos, mas o número de espetadores não correspondeu às expetativas.

Através de uma comunicação do porta-voz oficial da FIFA, o organismo responsável pela organização do Mundial confirmou os números anormalmente reduzidos de espetadores na partida entre as equipas de Salah e Suarez. “O facto da assistência real não refletir a quantidade de bilhetes vendidos pode dever-se a vários fatores e a FIFA já está a investigar”, referiu o porta-voz. De facto, os números assim o comprovam.

Os lugares vazios estavam, em grande parte, na bancada central, uma das zonas mais caras (Foto: Getty Images)

Mais de 6000 lugares vazios

A FIFA vendeu 32278 bilhetes para a partida entre o Uruguai e o Egito, o segundo jogo do Mundial. No entanto, vários órgãos de comunicação social avançam que eram mais de 6000 os lugares vazios na Ekaterinburg Arena. Dentro das possibilidades, está uma presumível fraude na venda de bilhetes.

Dentro de campo, o Uruguai venceu pela margem mínima, com uma “cabeçada” decisiva de José María Giménez já nos instantes finais da partida. Salah, um dos jogadores mais valiosos do mundo, nem saiu do banco da equipa do Egito.