A Liga Profissional Francesa, a entidade que organiza a Ligue 1 e a Ligue 2, anunciou esta quarta-feira que os clubes geraram um receita recorde de quase três mil milhões de euros na temporada 2018-2019.

Ainda assim, os 40 clubes dos dois principais campeonatos de futebol em França registaram uma perda conjunta de 160 milhões de euros. Isto depois de as despesas operacionais terem subido 10%, com as perdas operacionais a ascenderem a 835 milhões de euros.

Os responsáveis do futebol francês explicam, porém, que as perdas estão concentradas, com apenas três clubes a representarem 95% do desequilíbrio.

Um total de 26 clubes — 15 na principal liga e 11 na segunda liga — registaram lucros na última época.

Ler mais: Clubes da Bundesliga faturam mais de 4 mil milhões pela primeira vez

As receitas excluindo transferências de jogadores superaram a barreira dos dois mil milhões de euros pela primeira vez, suportado pelo bom crescimento do segmento comercial, cuja faturação saltou 11% para 2,11 mil milhões.

As receitas comerciais excluindo os direitos televisivos foram de cerca de 102 milhões, sinalizando uma valorização dos contratos publicitários e de sponsorship na Ligue 1.

O contributo dado pelos direitos televisivos aumentou 105 milhões de euros, graças à participação dos clubes franceses nas provas da UEFA — e que por essa via ganharam mais dinheiro com os TV rights — e também à valorização dos direitos televisivos nos mercados internacionais.

A Liga Profissional Francesa acrescentou que estes números deverão aumentar, tendo em conta que os novos contratos de televisão com a Mediapro e a beIN Sports vão entrou em vigor a partir de 2020-2021.