O Sporting confirmou esta semana a contratação do jovem treinador Rúben Amorim ao Sp. Braga por 10 milhões de euros. Foi o terceira maior negócio da história do futebol envolvendo transferências de técnicos.

Não é habitual os clubes transferirem os “passes” dos seus treinadores principais. Ainda assim, é algo que se tornou bastante comum nos últimos anos, à medida que os gestores vão ganhando consciência de que também é importante investir na equipa técnica e não apenas na aquisição dos melhores jogadores.

No caso de Rúben Amorim, 35 anos, mudou-se de Braga para Lisboa com os leões a pagarem a cláusula de rescisão de 10 milhões de euros em duas tranches de cinco milhões de euros cada. Adicionalmente, o Sporting pagará os juros de mora (taxa anual de 6%) pelo facto de pagar apenas a segunda tranche em setembro, num montante que se fixa já nos 155 mil euros. Até final do mês de março, o clube de Alvalade pagará o IVA relativo ao negócio.

É uma mudança surpreendente dado que Rúben Amorim tem pouco mais do que uma dezena de jogos ao comando da equipa principal dos arsenalistas do Minho. Ele substituiu Sá Pinto a meio da época. Também surpreende pelo valor da transferência: 10 milhões de euros e mais uns trocos com juros e impostos.

Há apenas dois negócios mais caros do que este. Em 2011, depois de ter conquistado a Liga Europa e a Liga portuguesa ao serviço do FC Porto, André Villas-Boas mudou-se para Londres. O Chelsea pagou 15 milhões de euros pelo aprendiz de José Mourinho, que atualmente está a comandar os franceses do Olympique de Marselha. É até esta altura a contratação mais cara de sempre de um treinador de futebol. A seguir a André Villas-Boas surge Brendan Rodgers, que se transferiu do Celtic de Glasgow (Escócia) para os ingleses dos Leicester no ano passado por 10,5 milhões.

Brendan Rodgers está habituado a este tipo de negócios. Ele já havia sido contratado pelo Liverpool em 2012, com os reds a pagarem 6,2 milhões de euros aos galeses do Swanswea. Anos antes, em 2009, o Swansea tinha pago seis milhões para resgatar o técnico ao Reading.

Quem também costuma protagonizar mudanças milionárias é José Mourinho. Em 2004, o Chelsea pagou seis milhões de euros para ficar com o treinador campeão europeu pelo FC Porto naquele ano. Anos mais tarde, o técnico português rendeu oito milhões de euros ao Inter Milão, depois de se mudar para o Real Madrid em 2010. Também naquele caso, Mourinho acabava de conquistar a Liga dos Campeões.

Os merengues estão habituados a comprar treinadores. Fizeram-no com José Mourinho em 2010, tal como fizeram com Manuel Pellegrini em 2009 e Carlo Ancelotti em 2013.

Pelo meio, há também a registar a aquisição de Mark Hughes pelo Manchester City ao Blackburn Rovers por 6,2 milhões de euros, em 2008.

Top 10 Treinadores Mais Caros do Mundo

1. André Villas-Boas – FC Porto/Chelsea – 15 milhões de euros (2011)
2. Brendan Rodgers – Celtic/Leicester – 10,5 milhões de euros (2019)
3. Rúben Amorim – Sp. Braga/Sporting – 10 milhões de euros (2020)
4. José Mourinho – Inter Milão/Real Madrid – 8 milhões de euros (2010)
5. Mark Hughes – Blackburn/Manchester City – 6,2 milhões de euros (2008)
6. Brendan Rodgers – Swansea/Liverpool – 6,2 milhões de euros (2012)
7. José Mourinho – FC Porto/Chelsea – 6 milhões de euros (2004)
8. Brendan Rodgers – Reading/Swansea – 6 milhões de euros (2009)
9. Manuel Pellegrini – Villarreal/Real Madrid – 4 milhões de euros (2009)
10. Carlo Ancelotti – PSG/Real Madrid – 3,8 milhões de euros (2013)