O Sporting apresentou um lucro de 62,9 milhões de euros no primeiro trimestre do ano desportivo, naquele que foi o melhor resultado de sempre desde que foi constituída a SAD leonina. Slimani e João Mário ajudaram. Como?

A contribuir para este lucro histórico estiveram sobretudo as vendas de João Mário ao Inter Milão e de Islam Slimani ao campeão inglês Leicester City. No total, o clube de Alvalade faturou mais de 105 milhões de euros entre julho e setembro deste ano, um valor que compara com os 22 milhões de euros do mesmo período do ano passado.

João Mário foi vendido ao clube milanês no verão passado por 40 milhões de euros, enquanto o internacional argelino seguiu para Inglaterra a troco de 29 milhões de euros — já aqui tínhamos referido que o Sporting foi mesmo o campeão do mercado de transferências em Portugal, algo que já não acontecia desde o tempo em que Cristiano Ronaldo foi vendido ao Manchester United, em 2003.

Ainda assim, as mais-valias (aquilo que realmente lucrou com as vendas, descontando impostos, comissões e outros encargos) com as transações de atletas fixaram-se nos 59 milhões de euros.

Sem a venda de atletas, as receitas dos leões teriam ficado nos 12 milhões de euros, para as quais contribuíram decisivamente os 8,2 milhões de euros que vieram da Champions League. O clube destaca ainda o aumento dos direitos televisivos em 2,4 milhões de euros.

Jesus pesa nos gastos

Por outro lado, os gastos dispararam 31% face ao mesmo período do ano passado. Uma evolução que é explicada com o forte aumento dos salários para 15 milhões de euros, “fruto do investimento nas equipas técnicas e nos jogadores profissionais de futebol”. No caso de Jorge Jesus, o salário bruto de cinco milhões de euros coloca o técnico português entre os mais bem remunerados na Europa.

Para a administração liderada por Bruno de Carvalho, este investimento é mais do que justificado. “É vital e fundamental para a recuperação do posicionamento de liderança da Sporting SAD”, é possível ler-se no documento enviado à CMVM.

Devido a este investimento no reforço do plantel, o passivo do SAD leonina voltou a subir no trimestre: aumentou cerca de 11% face a junho deste ano para 276,9 milhões de euros.

Também o valor do ativo subiu como consequência da valorização do plantel dos 32 milhões para os 45,9 milhões de euros.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA