Portugal conquistou ontem o inédito título de Campeão da Europa. Conheça os principais números à volta da economia do Euro 2016.

117 milhões de euros
É o retorno mediático dos principais patrocinadores da selecção nacional com o triunfo no Europeu, de acordo com estudo realizado pela Cision: Sagres, Meo, Galp, Novo Banco, Continente, Jogos Santa Casa, Nike, Hertz e Samsung. “À partida, estava garantido um retorno de 78 milhões de euros, valor gerado desde a fase de preparação até ao final da fase de grupos”, indicou o mesmo estudo.

cision_euro16

2.427.303 adeptos
Encheram os dez estádios do Euro 2016 ao longo dos 51 jogos realizados. Em média, cada jogo teve cerca de 47.600 adeptos a vibrar no estádio. O jogo com maior assistência foi o França-Islândia, relativo aos quartos-de-final, com 76.833 espectadores no estádio de Saint-Denis. Já o jogo com menor assistência foi Rússia-País de Gales, com 28.840 espectadores no Stadium de Toulouse.

108 golos
Éder marcou o último de 108 golos do Euro 2016. Cada jogo registou uma média 2,12 golos. O francês Griezmann foi o melhor marcador da competição, com seis golos. Os dois únicos golos registados no tempo extra foram marcados por Portugal: com a Croácia (Quaresma) e com a França (Éder).

golos

25,5 milhões de euros
Foi quanto Portugal recebeu pela conquista do título europeu. Só a presença na fase final do Euro 2016 rendeu um prémio de oito milhões de euros. Depois, com os três empates na fase de grupos e o caminho até à final, a selecção nacional garantiu mais 9,5 milhões de euros. A vitória na final rendeu oito milhões de euros. No total, a UEFA repartiu mais de 300 milhões de euros pelas 24 selecções que participaram na competição em França.

609 milhões de euros
É o retorno económico estimado em Portugal com a vitória da selecção nacional no Euro 2016. As contas foram realizadas pelo gabinete de estudos de Marketing para o Desporto do IPAM, que chegou a este valor contabilizando o impacto da publicidade, da venda de merchandising e de jornais, das viagens de avião, das apostas online e dos consumos na restauração e em casa.

1,2 milhões de euros
É o salário anual de Fernando Santos, o seleccionador que liderou Portugal até à conquista do inédito título de Campeão da Europa.

santos

1,93 mil milhões de euros
Foi a receita da UEFA com a realização do Euro 2016, representando um aumento de 34% face ao anterior campeonato europeu, realizado na Polónia e Ucrânia. Este crescimento é explicado sobretudo com a expansão do formato do torneio, de 16 para 24 selecções, o que gerou um aumento dos proveitos com direitos televisivos.