Liga Portugal divulgou hoje um comunicado em que anuncia a decisão de acatar a decisão do tribunal e a recomendação da FPF em relação à reintegração do Gil Vicente na primeira liga.

“Após profunda reflexão no seio deste órgão diretivo e com a consciência que qualquer decisão implicará manifestas alterações nas competições profissionais e respetivos quadros competitivos, decidiu, por unanimidade, acatar a decisão do tribunal e a recomendação da FPF e não recorrerá da mesma”, refere o organismo liderado por Pedro Proença.

Deste modo, e contrariamente à estratégia de “emagrecimento das competições, de forma a torna-las mais competitivas, atrativas e sustentáveis”, a Liga NOS vai passar a contar com 20 clubes já na próxima temporada, devendo o número de emblemas reduzir na época seguinte.

Considera a Liga que, “pese embora esta ligeira alteração de rumo a que se vê obrigada face a uma decisão proferida mais de 10 anos após a descida de divisão do Gil Vicente FC, não abdicará e retomará, já na próxima época desportiva de 2017/18, essa estratégia [de emagrecimento do número de clubes] que parece imprescindível para o futuro da Liga e das competições de futebol profissional em Portugal”.

A Liga espera agora por um desfecho célere em relação ao “Caso Mateus” que esteve na origem de todo este imbróglio de uma década.

“Com o intuito de uma decisão célere, a bem da estabilidade das competições e baseados nos valores de mérito, justiça e integridade das competições, os Clubes, em Assembleia Magna, terão a palavra final”, anota o organismo.