Sabemos que nem só de golos vive um ponta-de-lança. E que a sua preponderância na equipa vai mais além do que fazer balançar as redes. Por outro lado, sabemos que o seu preço no mercado depende de múltiplos factores, muitos deles que nada têm a ver com o desempenho dentro de campo.

Não obstante, decidimos analisar quanto custam os golos. Isto é, analisar quanto é que os clubes pagam aos avançados para fazer aquilo pelo qual, afinal, foram contratados: ver a equipa adversária buscar a bola ao fundo das redes. Como?

Os 20 avançados seleccionados deste estudo são justamente aqueles que figuram no top-20 da Bota de Ouro. Mas, ao invés de contabilizar apenas os golos marcados nas suas ligas domésticas, contabilizamos o total de golos até ao momento a serviço do clube (a entidade que paga o salário ao fim do mês). E juntamos a outra variável: o salário anual. As contas são as seguintes:

custogolos

Até ao momento, o avançado Nikolic é quem tem prestado o seu serviço de uma forma mais barata: em média, cada golo seu tem custado 12 mil euros ao Legia Varsóvia (Polónia).

Os “portugueses” também têm saído barato: Slimani (Sporting) surge com um rácio de 18 mil euros por golo, sendo o segundo na lista. Os benfiquistas Jonas e Mitroglou apresentam um rácio de 31 mil euros/golo e 81 mil euros/golo, respectivamente. Algo que os torna jogadores bastante apetecíveis no mercado internacional.

Do lado oposto, Messi é quem surge com o pior desempenho (desta lista). O craque argentino leva 37 golos ao serviço dos catalães na presente época e cada um deles custou quase um milhão de euros ao Barcelona. Ronaldo, com 46 golos, está melhor posicionado que o rival: 700 mil euros por golo.